Conselho do relacionamento

Eu preciso realmente de um relacionamento?

2020.11.27 04:29 Henrique_ee Eu preciso realmente de um relacionamento?

Eu tenho quase 17 anos, eu nunca tive um relacionamento com ninguém e eu só beijei uma garota em toda minha vida, eu sempre fui o tipo de pessoa que não ligava muito pra relacionamento e tals, mas de uns tempos pra cá, eu fico sempre me perguntando o porque não ter um relacionamento, principalmente nessa época de isolamento social, eu tenho gastado boa parte do meu tempo jogando com meus amigos, passamos o dia inteiro jogando nesses dias, mesmo assim eu ainda me sinto meio sozinho, mesmo estando conversando com eles todos os dias, mas um namoro é muito diferente de uma amizade, em vez de ficar o dia inteiro em call, eu poderia passar um tempo junto com a pessoa que eu amo, conversando, assistindo algo junto, desabafando dos meus problemas e etc.
Então, será que eu preciso de um relacionamento? Deixe um conselho pra min, se você leu até aqui pvf, obg!
submitted by Henrique_ee to desabafos [link] [comments]


2020.11.26 06:18 LukeMakki77 Totalmente sem saber o que fazer...

Bom, vamos lá
Namorei uma menina por 1 ano e 7 meses, terminamos na sexta-feira da semana passada (contra minha vontade, pois ainda gosto dela). Ela se dizia desgastada da relação após alguns leves desentendimentos entre nós e disse não estar mais interessada em mim. Essas palavras me machuram muito, pois eu sempre gostei muito dela, apesar de todos nossos problemas. Ela tem problemas de saúde, como depressão e ansiedade.
Nosso término ocorreu de forma até pacífica, em uma chamada de voz. Nessa chamada, ficamos longas horas conversando sobre o andamento da relação. Eu me dispus a resolver todos os problemas e tentar de tudo pra manter aquela relação... Mas como dito acima, ela me disse preferir que ambos seguissem seus próprios caminhos e vidas...
Nós sempre fomos muito próximos, nosso relacionamento surgiu através de uma profunda amizade no ensino médio e com o tempo nos apaixonamos. Nossa relação sempre foi muito tranquila, até que começou a pandemia...
Com a pandemia, não pudemos mais nos ver com tanta frequência, nossa solução foi encontrar algo para fazermos juntos a distância (inclusive nisso, descobri uma nova paixão, chamada League of Legends). Nós jogavamos todos os dias.
Porém,sentindo a ausência um do outro, nossa relação foi ficando mais superficial e menos emotiva. A gente se via eventualmente, mas já não era como antes...
Essa questão toda da distância e isolamento de tudo nos gerou diversos problemas, comecei a ter graves crises de ansiedade. Me tornei uma pessoa muito impulsiva. Inclusive, acabava sendo grosso excessivamente com ela, várias vezes, mesmo sem a intenção.
Isso foi desgastando a relação, mas não somente isso.
Ela foi criando novas amizades no jogo e já não passava mais aquele tempo todo longe de mim comigo. Ela, como já dito, tem problemas de ansiedade e depressão também.
Somando tudo isso, chegamos a uma situação onde a relação estava bem sobrecarregada.
Eu decidi procurar ajuda profissional e tem sido maravilhoso!
Todavia, os problemas do lado dela ainda não se resolviam e isso foi pesando, até que chegou sexta feira e terminamos o namoro (a pedido dela).
Passaram-se já alguns dias, busquei me manter bem ativo, mudei os móveis da minha casa de lugar, procurei trabalhos e cursos pra fazer e me aproximei de amigos do passado que me afastei. (Inclusive, me aproximei de uma amiga a qual já fui bastante apaixonado no ensino médio, antes da minha ex-namorada). Conversei com tudo isso sobre minha psicóloga e ela me deu total apoio e me disse estar lidando de forma bastante correta nessa situação, apesar de toda essa dor que eu sinto por dentro, afinal, ainda gosto dela.
Quarta-feira dia 25, minha ex pede urgentemente para que conversemos.
Decidi que não havia problemas e combinamos de eu ir amanhã na casa dela para buscar coisas minhas que estão lá, porém ela se sentiu incomodada, apesar de aceitar isso.
Todavia, ela pediu pra conversarmos no momento imediato via chamada. Eu aceito sem problemas.
Ela me liga chorando, dizendo que se arrependeu de tudo que me disse, que era mentira, que ela gosta sim e mim e me quer de volta. Ainda nas palavras dela "eu quero que tu cuide de mim".
Eu fiquei sem reação, eu prefiri optar por passar confiança a ela do que dar uma falsa esperança de que voltaríamos... Vou explicar:
Ela cogitou suicídio com toda essa situação...
Eu resolvi passar confiança pra ela em si mesma (o que eu tenho feito comigo)
Eu dei todas as qualidades dela, relembrei bons momentos da nossa relação e fiz com que ela se sentisse especial. Mesmo assim, não disse que ficaria com ela.
Eu admiti pra ela, estou com saudades, eu quero poder dizer que quero ficar com ela.
Mas ela magoou muito meus sentimentos e me machucou muito a forma como ela lidou inicialmente com isso.
Mas eu ainda gosto dela...
Só que eu tenho receio, ela pode estar pedindo por mim agora, mas na verdade ela só uma companhia pro momento difícil, e não por realmente me amar...
Eu aconselhei ela a buscar tratamento com um profissional e ela vai, além do mais, dei conselhos a ela sobre como ela pode superar essa "escuridão" toda que tem passado.
Eu do fundo do meu coração, desejo toda a felicidade e sucesso do mundo pra ela, mas não sei se eu sou o cara capaz disso, e com certeza eu não quero namora-la por pena.
Eu quero namorada por saber que eu a amo e ELA ELA AMA A MIM.
Mas como a saúde mental dela tá instável, não acredito que ela seja capaz de definir um sentimento por mim...
Amanhã vou na casa dela para buscar minhas coisas e ajudar ela em serviços na casa (só pra dar um ânimo)
Mas eu tenho medo de recair, estou indeciso
Eu a amo, mas não sei se devo amar
Não sei se eu realmente devo me sujeitar a esse relacionamento assim.
Estou sem saber o que fazer.
submitted by LukeMakki77 to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 19:32 Sadsolitaria Só um desabafo, me ajudem.

Então galera primeira vez que escrevo aqui.
Tenho 17 anos e por incrível que pareça sou bv, nunca dei tanta atenção para os meninos porque penso muito mais na minha vida profissional, acho que se acontecesse de rolar um sentimento maior e ter um relacionamento isso me tiraria do foco. Mas as vezes me pego pensando... vou conhecer um amigo ambos temos sentimentos um pelo outro, porém ele não faz meu tipo... ai eu fico tipo... pqp como eu tenho sentimentos por alguém que não faz meu tipo??? eu gosto da pessoa que ele é, enfim, eu tenho medo de rolar e eu travar, congelar ou simplesmente da um murrão nele e mandar parar kkkk, eu não sei se falo pra ele que sou bv, e sim, tbm sou um pouco tímida isso me impede de fazer as coisas, cara eu tou mto ansiosa e tou surtando com isso, pelo amor de Deus eu tou implorando conselhos KKKKKKKKKKKKKK
submitted by Sadsolitaria to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 21:40 AtlasB11 Não tenho mais amigos e aluguei uma namorada

Meu amigo de longa data me chutou em parte por problemas psicológicos dele e em parte defeitos meus. Não tenho nenhum outro amigo e desde pouco mais de seis meses atrás, comecei um acordo com uma garota que já conhecia. Essencialmente é um relacionamento sugar. Ela se esforça pra ser uma boa namorada e me agradar, eu ajudo ela com dinheiro. Apesar da situação, ela é uma garota maravilhosa em personalidade e valores e a melhor namorada que eu já tive, embora que a lista seja grande. Apesar disso, pelos problemas psicológicos e financeiros serem tão graves, ela é emocionalmente fechada e isso dificilmente vai mudar. Não tenho mais ninguém na minha vida, seja amigos ou outras garotas e comecei a ter medo de ter outras pessoas perto. Sei que posso confiar nessa garota, pois ela já provou ter morais incrivelmente sólidas, mas sinto uma desconfiança grande de todo mundo. Mesmo ela, por ser tão fechada, eventualmente deve ir embora, provavelmente mais cedo do que eu gostaria, pois a amo. Não sei se quero conselhos, não acho que dá pra consertar nada fazendo algo específico, mas eu literalmente não tenho ninguém pra desabafar disso
submitted by AtlasB11 to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 02:22 GPCross Penso em dividir o apt com uma amiga, mas tenho medo que isso cause problemas no meu relacionamento

Talvez pareça um dilema bobo com uma resposta óbvia, mas já faz um tempo que quero dividir meu apartamento com alguém que eu confie por motivos financeiros, sociais, emocionais e inúmeros outros, porém tenho medo que isso afete meu relacionamento. Atualmente moro sozinho e minha namorada costuma passar os fins de semana comigo. Sendo apenas nós dois, roupas são completamente dispensáveis. Além disso temos liberdade pra fazer o que queremos e quando queremos sem nenhum julgamento. Então, por esse lado, perderíamos essa liberdade pois teria mais alguém morando aqui. Esse não é o maior dos problemas pois sempre existiu a possibilidade de eu dividir o apt com meu irmão, o que causaria a mesma situação até aqui. O próximo problema é que minha namorada ficou obviamente incomodada com a ideia de eu morar com outra mulher. Não por falta de confiança, mas pq consequentemente acabaríamos ficando mais íntimos por passar tanto tempo juntos (eu e essa amiga), além de situações como sair do banheiro de toalha, roupas íntimas no varal e afins. Eu quero muito dividir o apt pois sinto falta de ter uma amizade por perto, e por mais que minha namorada seja incrível, é um tipo de relacionamento diferente. Tenho certeza de que eu conseguiria me alimentar melhor, pois apesar de eu gostar de cozinhar eu tenho muita preguiça de fazer comida só pra mim e acabo comendo besteiras que são mais práticas. Também acabo ficando muito sedentário pq não tenho companhia regular pra atividades físicas, e essa amiga além de já ter esses hábitos saudáveis sempre me incentivou a ser alguém mais saudável. Então é certo que morando no mesmo apt eu conseguiria alcançar essa meta. Não sei mais o que dizer por agora, pois estou com a cabeça cheia de outras coisas também... Mas queria me abrir aqui pra tentar aliviar um pouco essa pressão e quem sabe encontrar alguns conselhos ou opiniões que possam ajudar?
submitted by GPCross to desabafos [link] [comments]


2020.11.17 20:30 Baury A partir de que ponto vale a pena terminar um relacionamento longo?

Estamos juntos há 4 anos, temos ambos aproximadamente 26 anos.
De um ano pra cá o relacionamento tem se deteriorado bastante e as coisas já são bem diferentes do que foram nos dois primeiros anos. As discussões e desentendimentos são semanais. Conversas longas e interessantes já são raríssimas, existem assuntos que evito conversar sobre pois ela é má resolvida. O sexo tem diminuído de frequência para cerca de duas vezes ao mês.
O meu lado racional enxerga um futuro problemático para esse relacionamento. Possuímos formas de encarar a vida, objetivos e hábitos bastante distintos.
Já pelo lado emocional, eu a amo. Nós temos uma história juntos, ela esteve presente em momentos emblemáticos e difíceis da minha vida e me conhece como ninguém.
Não sei até que ponto o surgimento desses problemas em relacionamentos longos é normal e devo enfrentá-los, e a partir de que ponto o problema passa a ser o meu relacionamento.
Estou aberto a ouvir conselhos de pessoas que passaram por crises em relacionamentos. Conseguiram superar e voltaram a ser felizes? Se arrependeu do término?
submitted by Baury to desabafos [link] [comments]


2020.11.16 07:04 gabruxao menina complicada...

Recentemente ando webconversando com uma menina que um amigo meu o apresentou (já conhecia ela tem mais ou menos 1 ano, porém nunca parei para conversar.) Ok essa comecei a webconversar com essa menina e vi que tinha MUITA coisa em comum com ela! Isso me fez interessar MUITO nela (apesar de só ter visto ela pessoalmente) bem eu realmente gostei muito dos gostos dela etc... Porém essa menina é muito solitária, só tem uma amiga que era da escola... Tem problemas famíliares, sofreu bullying quando era criança e o único relacionamento que ela teve foi abusivo etc... Ela sofre muito com muita coisa sabe? Ela cuida da irmã o dia todo sozinha etc... Pais separados, as vezes a mãe dela chega bêbada e fala muito merda para etc... Cara, eu realmente quero muito me aproximar dela e a confortar e proteger ela... Sabe ela tem muito problemas emocionais etc... Já tentei chamar ela para sair etc... Porém ela disse que queria, mas só quando ela melhorasse etc... Acho q a mente dela não a deixa se aproximar de ninguém por medo... E eu tô fazendo de tudo para me aproximar dela e tentar criar um laço, porém é MUITO difícil e isso me deixa triste, pois eu sei que eu ao lado dela poderia ajudá-la sabe? Um amigo meu até disse que eu posso ser a chave que ela precisa... Eu fico com medo de tentar ficar se aproximando e parecer forçado ou ela enjoar de mim, sabe ? Não é justo ela passar por tanta coisa sozinha sem ninguém do lado... Alguém poderia dar conselhos do que fazer ?
submitted by gabruxao to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 19:36 vallsodretattoo Ex e suas mudanças...

Opa, tudo bem com vocês?
Este é meu primeiro desabafo, perdoem por ser prolixa (Ainda estou aprendendo a usar a plataforma)
Vamos lá, peguem seus óculos e preparem para a leitura...
No início do ano descobri uma gravidez e logo em seguida o pai da criança terminou o relacionamento comigo.
Tivemos muitas brigas e desentendimentos durante todo o processo. Mas eu tinha muitas esperanças da gente se “entender” e recomeçar (reajustando/conversando e mudando algumas coisas).
Depois que tive a criança, muita coisa mudou, inclusive a esperança que eu tinha em “ter um novo recomeço” com ele. Descobri/ouvi bastante coisa desagradável...
{Traições}
Que mexeram muito com minha auto estima e principalmente com o sentimento que eu AINDA tinha por ele...
Tivemos algumas recaídas depois que tive o bebê. Mas ele sempre me trata com indiferença no final das “fod*s”. O que me deixa sempre muito triste e com uma sensação de que eu fiz algo muito errado - mesmo gostando tanto de estar com ele.
“Tá. Mas onde você quer chegar com isso?”
Dias atrás ele dormiu na minha casa e demonstrou estar mais “de boa” e aceitando mais o contato físico com ele (que a princípio eu fiz por força do hábito e depois fiz pra “saber se ele tava bem” já que todas as outras vezes ele se esquivava ou respondia mal).
Sempre que eu decido deixar tudo pra trás e não voltar mais. Ignorar. Não pensar mais nele. Conhecer outras pessoas... Ele “ressurge” com atitudes que me fazem tremer na base.
Queria conselhos... Conselhos de “pessoas” de fora.
• O que fariam se estivessem no meu lugar?
Sei que existem muitas coisas a serem analisadas. E estão lendo apenas o meu lado...
Mas... É isso (resumidamente)
submitted by vallsodretattoo to desabafos [link] [comments]


2020.11.11 22:06 hoxhaminh Quero terminar, mas estou incerto

Eu estou bastante infeliz com o meu relacionamento. Apesar de gostarmos muito um do outro e de grande parte dos momentos que estamos a sós serem bons, sinto que nossas diferenças e conflitos estão num nível que vem me desgastado mais do que o usual.
Dito isso, penso seriamente em terminar, mas como ainda estou bastante incerto em relação a dar este passo (apesar de pensar frequentemente, o que é um péssimo sinal), não sei como agir com ela nos próximos dias. Neste momento eu meio que estou brigado com ela e pouco afim de papo.
Alguém teria algum conselho?
submitted by hoxhaminh to desabafos [link] [comments]


2020.11.11 03:19 Ofc_nathi Eu VS meu irmão mais velho

(Esse desabafo não é sobre rivalidade entre mim e meu irmão, e sim sobre a forma que minha mãe e meu padrasto nos trata diferente.)
Eu sempre fui super próxima à meu irmão... Sempre me baseei nele, sigo seus conselhos e etc. Meu irmão sempre manteve sua vida amorosa, suas peguetes e ficantes em segredo. Com excessão de mim, ele não contava sobre esse tipos de coisa P ninguém... Ao contrário de mim, que sempre conversei com a minha mãe, sempre contei sobre minhas paixonites, os meninos e meninas que eu ficava ou até msm, queria ficar. Meu irmão começou a ficar com uma menina que minha família não conhecia, e dps de alguns meses, ele foi sair c a mina, e eu e minha família fomos juntos (sem saber q ele ia encontrar a menina)... E foi assim q conhecemos a namorada dele. Comigo, desde sempre, minha mãe dizia que se eu fosse me envolver com alguém, essa pessoa tinha que ir em casa, conhecer a minha família é pedir permissão. Dps de 1 mês de namoro do meu irmão, eu comecei a praticar meus esportes e meus amigos me levavam em casa, toda noite. Minha mãe conheceu um amigo meu e me shippava com ele. Eu nunca havia pensado na possibilidade de ficar com ele, mas como minha mãe ficava matutando em cima de mim, eu comecei a olhar o menino c outros olhos, e dps de 1 mês conversando c o menino, eu chamei ele P sair (c a permissão da minha mãe) e ficamos (eu falei P minha mãe e P meu padrasto). Dps de 2 semanas ficando, oficializamos o namoro.
Com 1 ano de namoro, minha mãe nunca deu pitaco no relacionamento do meu irmão. Com 2 semanas namorando, minha mãe sempre se meteu no meu namoro, e dizia tudo q eu tinha q Flr P meu namorado. (Terminei c ele dps de 3 meses de namoro)
Isso foi em 2018...
Depois disso, minha mãe começou a ficar paranóica sempre q eu falo de alguém q eu fico.
À mais ou menos 1 mês atrás, eu fiquei com um cara em uma festa de família paterna, e contei P minha mãe. Até então, eu não pensava na possibilidade de ficar c esse cara Dnv, mas acabou rolando e EU CONTEI P MINHA MÃE. (Ela sempre me disse que eu tinha que contar as coisas P ela, pq ela nos contava as coisas dela. E se eu não contasse e ela descobrisse, ela ia ficar brava e chateada)
Eu continuo ficando c esse cara, sem esconder da minha família e da minha mãe. Porém, pra minha família paterna, tudo que eu faço, é por causa desse cara; mas eu sempre deixei claro PRA TODO MUNDO QUE EU CONHEÇO, QUE MINHA VIDA NÃO É MOVIDA A MACHO, OU À QUALQUER TIPO DE RELAÇÃO AMOROSA, pois eu sempre fiz as coisas pela minha cabeça. Falei pra minha mãe que minha tia havia me chamado pra dormir na casa dela, que por acaso, é perto de onde o cara q eu fico, mora. E ele vem todos os dias tomar café com a minha avó, que é na msm rua da casa da minha tia... Eu também venho passar o fim de tarde com a minha avó, pois antes, quando eu não vinha, todos os meus tios e tias, e minha avó me crucificavam. Minha mãe, de cara, me perguntou se eu ia vir por causa do mlk, e eu, puta da vida, disse q não... (eu não menti) e disse pra minha mãe que se eu viesse só por causa do Mlk, não tinha o porquê de eu esconder isso.
Vim pra casa da minha tia, falo com minha mãe e meu pai, todos os dias... E minha mãe me pergunta se eu falei com o menino, e eu digo q não fico falando por ele por telefone, até porque ele trabalha (e eu não tenho paciência P ficar conversando por telefone).
Hoje, eu na casa da minha avó, minha mãe me mandou msg, dizendo q queria conversar comigo, dizendo q meu padrasto disse q tem certeza que eu só vim pra cá por causa do mlk... Disse q eu nunca gostei de vir pra cá, etc. Eu disse que Sempre que eu tenho oportunidade, eu venho ficar com a minha tia, mas parece q ninguém, além do meu irmão, lembra disso. Eu fiquei totalmente magoada pelo q o meu padrasto falou e minha mãe concordou...
Se fosse o meu irmão, ninguém ia associar a ficante dele, com a visita à família; Por que q comigo tem que ter essa palhaçada? Por que eu sou mulher? Sempre argumentei contra o machismo e tenho que conviver com isso dentro de casa?
Eu havia dito pra minha mãe que o cara tinha me chamado pra sair, e ela disse q se eu saísse com ele, ela ia ir junto. Pra quê? Por que, com meu irmão nunca teve esse palhaçada, e comigo que sempre me abri, tem que ter? Eu tô exagerando em me sentir mal?
submitted by Ofc_nathi to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 06:16 RedRightFoot Estou pensando em voltar com minha ex

Eu e minha ex namoramos por 10 meses. Durante todo relacionamento, mesmo que nós tivéssemos momentos bons, ela era completamente controladora comigo: praticamente me proibia de ter amizades com o sexo oposto, me humilhava, era extremamente ciumenta com qualquer coisa, além de ter alguns problemas psicológicos, e ter até tentado suicídio. Ela teve um ex-namorado que era extremamente abusivo com ela, e ela disse que isso, de uma certa forma, afetou ela. Mesmo que eu ache que eu não tenha nada a ver...
Ela inclusive não aceitava muito bem minhas amizades do mesmo sexo (homens), principalmente com um amigo íntimo meu de infância, em que ela já chegou a dizer que ele era o problema de nosso relacionamento, simplesmente porque eu tinha um contato próximo com ele.
Com tudo isso, eu decidi terminar e dar um fim há 3 meses. Porém, na última semana, comecei a pensar muito sobre, comecei a sentir algo por ela novamente, e tive uma recaída.
No fim, acabei por retomar contato com ela, conversamos sobre algumas coisas do nosso relacionamento, mas sinto que não consegui dizer tudo com clareza, não consegui ouvir dela direito sobre os milhares de erros que ela havia cometido comigo, e com a recaída de nós dois, acabamos ficando e transando...
Contei para alguns amigos essa minha decisão, e eles não concordaram, dizendo que apressei demais as coisas pra uma pessoa que agia dessa forma comigo, e que eu estou cego... Mas não consigo concordar com eles, porque mesmo com tudo isso, eu quero dar uma chance pra ela... eu gosto dela, do jeito que ela é, e quero ter ela por perto, pelos nossos momentos bons.
Eu acredito muito na mudança das pessoas, e acho que talvez valha a pena, mas não sei se realmente estou tomando a decisão certa, ainda mais depois dos conselhos de meus amigos...
Isso tem tomado a minha mente, porque ao mesmo tempo que quero dar uma nova chance a ela, meus amigos dizem que estou sendo trouxa e não me valorizando, e que eu cometi um erro.
Não sei o que fazer.
submitted by RedRightFoot to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 01:23 immauwu Uma coisa que me incomoda em subreddits de relacionamento

Sigo muitos subreddits nos quais as pessoas pedem conselhos a respeito de relacionamentos, e eu fico assustada com a quantidade de pessoas que incentivam a traição. Seja em subreddit gringo ou br, o que mais tem é gente influenciando o/a OP a trair seu parceiro por causa de um problema que poderia ser facilmente resolvido na base da conversa ou com terapia de casal. Não importa se o/a OP namora há anos, é casado(a) ou tem filho, sempre tem um ou dois nos comentários que influencia a trair por causa do menor dos problemas.
Um exemplo que eu vi recentemente: um homem postou em um subreddit dizendo que uma senhora que trabalhava com ele dava em cima dele constantemente. Também disse que era casado (detalhe que a esposa trabalhava em casa) e tinha um filho recém-nascido, e não sabia como fazer a senhora parar. Primeira coisa que eu vejo assim que abro os comentários foi alguns outros caras incentivando o OP a trair a esposa com a senhora. Vários e vários comentários falando coisas como "transa com ela, fica tranquilo que sua esposa não vai saber" ou "Sua esposa acabou de ter filho, certeza que você não tá transando. Enquanto isso come a senhora".
Aquilo me deu um nojo que eu nem consigo nem explicar. Sei lá, só me machuca bastante a falta de valor que algumas pessoas dão a relacionamentos, de anos ou meses. E ver tanta gente assim e deu medo medo de acabar me relacionando com alguém que haja do mesmo jeito: no primeiro problema que aparece já trai. Isso vêm me incomodando bastante esses dias.
submitted by immauwu to desabafos [link] [comments]


2020.11.08 06:49 sad__cloud Uma vida amorosa e sexual bem triste. E um rapaz que me dá atenção.

*ATUALIZADO
*conta descartável
**Texto longo porém separado por parágrafos e bem escrito <3
***Talvez eu devesse postar isso no DeadBedrooms mas não me sinto com emocional para traduzir tudo para o inglês.
****Edits: concordância, erros gramaticais
*****Tudo que foi feito fora de casa foi com máscara e muito álcool em gel!
Namoro faz quatro anos. Cursamos o mesmo curso, mesma faculdade, mesma turma, mesmos colegas de sala. Ele é três anos mais novo que eu (tenho 25).
Meu namorado tem muitos defeitos. Muitos mesmo. Mas muitas qualidades também, que eu admiro e simplesmente amo. Colocando na balança, essas qualidades pareciam compensar os defeitos e decidi tolerá-los. Mas sabe quando esses defeitos aparecem com tamanha frequência e com tamanha intensidade que as qualidades simplesmente desaparecem? Então.
Moramos juntos, um cantinho alugado. Ele pediu demissão do estágio por odiar o serviço (e agora decidiu que odeia o curso também) e como recebe mesada dos pais, fica tranquilo. Eu ralo no estágio e pra dar aquela complementada na renda, comecei a vender bolos no meu bairro.
Meu namorado sempre reclamou do curso. A ponto de chorar de desespero de madrugada. Como fazemos trabalhos juntos, sempre tenho que dividir meu tempo entre fazer de fato o trabalho e consolá-lo (e nesse momento ele para a produção dele totalmente e no final eu sempre termino o meu para ajudá-lo). É o tipo de situação que nenhum conselho está bom. Nada que eu diga ajuda. Ele já me acusou de dar mais atenção aos trabalhos do que para ele. Esse ano, após uma briga colossal, ele resolveu procurar ajuda psicológica.
Sobre sexo, ele não existe mais, atualmente. E quando existe é com uma qualidade tão ruim (pra mim)... Como tirei a virgindade dele, achei que com o tempo e com a minha ajuda, ele melhoraria. Nunca melhorou. E se comento sobre algo que não me deixa feliz, ele diz que faz de tudo para me agradar e não sabe mais o que fazer pq eu sou muito difícil e fica bastante nervoso. Então desanimei de comentar qualquer coisa. Finjo que atingi o orgasmo só para ele gozar logo e terminar tudo. Quando eu o procuro na intenção de eu iniciar o ato e aí quem sabe controlar um pouco mais a situação ao meu favor, ele faz birra. Não vai continuar se eu não fizer tudo.
Faz uns seis meses que notei que ele estava me procurando bem menos e tentei criar uma situação para transarmos. Calhou de ele me falar que não sentia vontade de transar por estar se masturbando demais. Conversei sobre como uma vida sexual é importante para um casal e que seria bacana ele diminuir a frequência que ele assiste pornô (e ele assiste com muita frequência).
Eis que ele abre o celular e mostra que ele tá usando algumas fotos de usuárias do Reddit como material para masturbação. Nem cheguei a ver de que sub era pq meus olhos encheram de lágrimas muito rápido. Dei uma desculpa qualquer e fui chorar no banheiro, coisa que eu não faço desde a sexta série. Eu não sei dizer exatamente a diferença entre o pornô e uma foto, mas eu me senti humilhada como poucas vezes na minha vida.
Tenho uma amiga muito querida que, lá por março, de aniversário, me deu um vestido que eu queria muito (e que era bem caro. Meu namorado me deu uma noite frustrante de sexo). É um vestido azul que faz eu me sentir uma princesa. Como em agosto foi aniversário dela, fiz um bolo surpresa e fui entregar para ela a pé. Ela mora em um conjunto de prédios a quinze minutos (a pé) do meu cantinho. Lá fui eu, meu vestido azul e a cesta que eu uso para levar os bolos por aí. Ela tirou uma foto minha e divulgou no grupo do prédio. Viralizei!
Eu nunca vi TANTA encomenda e TANTO dinheiro aparecendo na minha frente. Chamei meu namorado para me ajudar a dar conta de tudo, prometi ensinar ele a fazer com a maior paciência.
Ele negou. E reclamou que meu cabelo andava muito feio. Meu cabelo é cacheado e eu o pinto de ruivo, então ele anda realmente um pouco judiado. Pra variar, me senti muito triste. Jurei que daria conta de todas as encomendas e com o dinheiro que sobrasse eu daria um trato no cabelo.
Dei conta? Dei. Virei noites? Sim. Gastei 1/8 do que ganhei comprando produtos de cabelo. Essas coisas são caras mas fiz minhas contas e considerei que seria uma compra prudente e que não nos afetaria economicamente no futuro. Em duas semanas eu estava amando o resultado. Me sentia mais bonita e preparei um jantar e comprei um vinho, decidida a mudar a nossa vida sexual.
Meu namorado comeu tudo correndo pois tinha um RPG marcado com não sei quem. A garrafa de vinho nem deu tempo de abrir.
Sabe o seu valor? Naquela hora eu sentia que tava valendo menos que a poeira do tapete da sala. Valendo menos que as meninas desconhecidas do Reddit.
Mas as encomendas de bolo no prédio da minha amiga continuavam. E como fiquei famosa com o vestido azul, fiz dele meu uniforme já que ia uma vez por semana lá entregar e todo mundo passou a me reconhecer com ele.
Um dia recebi um pedido de bolo de cenoura com chocolate de um apartamento Y que nunca tinha ido. Fiz tudo, como de praxe e no dia da entrega, quem me atendeu foi um rapaz com um sorriso tão imenso que eu cheguei a ficar sem graça. Quem encomendou de fato foi a avó dele, e da porta mesmo ele chamou dizendo "Vó, a moça gracinha veio trazer o seu bolo!"
Eu não sei dizer a quanto tempo não recebo um elogio. Mas o gracinha foi o suficiente pra eu me atrapalhar toda na hora de entregar o bolo. Quase saí correndo de nervoso. Atendi a vizinha do andar de cima e ela tinha perguntado se eu havia entregado no apartamento Y, pois a senhora que morava ali era amiga dela. Respondi que quem atendeu foi o neto e ela rasgou elogios, que ele era um doce de pessoa e que havia ajudado ela a instalar algumas lâmpadas na semana passada.
De setembro para cá eu entreguei bolo todas as semanas no apartamento Y. E o tal do neto, que é meses mais velho que eu, sempre estava lá para me receber. Já me convidaram para tomar um cafézinho (aceitei) e para o almoço (recusei). Semana passada, fui convidada novamente para o almoço, dessa vez pelo neto. Em um horário que a avó dele não estava em casa (não faço ideia de onde ela poderia estar nessa pandemia). Confesso que recusei para não cair em tentação.
Ontem tentei novamente uma surpresa para quem sabe transar com o meu namorado. Não deu certo. E dessa vez o porque foi que eu estou sempre ocupada e nunca dou atenção para ele. Discutimos e eu chorei, nunca me senti tão sozinha mesmo estando em uma relação. Fui dormir e ele foi jogar.
Hoje fiz mais uma entrega no apartamento Y. O neto estava fazendo faxina na casa, mas me recebeu. Quando pedi para ele segurar a cesta para que eu retirasse o bolo, ele se aproximou e colocou o nariz no meu cabelo, dizendo baixinho que eu era muito cheirosa. Eu agradeci e ele sugeriu de irmos tomar um café (em um café de fato), assim que acabasse a pandemia e que ele conhecia um ótimo lugar. Eu não aceitei e nem neguei (famoso "vamos ver hahaha"), mas voltei para casa muito abalada.
A verdade é que não vejo mais futuro para o meu relacionamento e estou exausta de me sentir sozinha dentro de um. Cansada de ser a única a tentar. Se eu tivesse uma relação sexual com o meu namorado eu não sei nem como reagiria, pois essa chateação toda me fez perder toda e qualquer atração que já tive por ele. As vezes acho que tento para no final de tudo pensar "pelo menos eu tentei".
Meu namorado foi rejeitado anteriormente por uma garota que ele amava e isso o deixou um ano de cama. Meus sogros me tratam muito bem e quase me endeusam, e as vezes acho que é por isso que ainda não tomei uma atitude. Gosto muito dos meus sogros, não quero chateá-los. Tenho medo que meu namorado fique de cama por minha causa também. Estamos tão próximos de concluir o curso que não quero me sentir responsável se ele jogar tudo para o alto caso eu termine. Não quero, caso o curso volte presencialmente, ter que encontrá-lo todo dia e ainda bagunçar nosso círculo de amizades em comum.
Por outro lado, eu me sinto tão ansiosa, tão pedinte por contato. Queria um abraço. Um beijo. Um carinho que faz arrepio. Uma noite de sexo. O cara do apartamento Y parece um sonho e pelo que sondei do condomínio, ele é tranquilo, faz as tarefas domésticas pela avó, concluiu o curso, trabalha (agora em home office) e já comentaram que ele é caidinho por mim. Sempre que faço uma entrega e ele está sozinho é um deus-me-acuda, quase um teste de fidelidade. Cada mensagem no whats pedindo uma encomenda ou perguntando que horas farei a entrega faz o meu coração bater rápido.
Me sinto errada por querer outro cara, de querer tentar uma possibilidade que pode dar muito certo. Sei que possivelmente a carência tá me fazendo fantasiar muito a situação toda, mas não consigo evitar. Não quero trair meu namorado mas não sei por quanto tempo mais aguento esse deserto de relacionamento.
Conselhos?
ATUALIZAÇÃO: Sentei essa noite e coloquei as cartas na mesa. Falei sobre como eu me sentia só, sobre ele sempre me trocar por qualquer coisa (pornografia, jogos, amigos) e que eu não vejo outra solução a não ser encerrar nossa relação.
Ele ficou mais chocado do que eu achei que ficaria e disse que nosso relacionamento não parecia ter nada de errado. Pontuei vários casos (os citados aqui no texto e outros) e ele ficou na defensiva, negando tudo ou dizendo que "não era isso". Perdi a cabeça e comecei a falar que qualquer cara que me olha na rua me dá mais atenção em um olhar do que o que ele anda me dando dentro do relacionamento.
Ele abaixou a cabeça e ficou quieto e sei que é nessas horas que eu fraquejo e volto atrás em tudo que disse. Ele me perguntou se ele nunca me fez feliz e eu disse que não era o caso. Ele prometeu mudar, mas quando nos reconciliamos várias vezes de várias outras discussões ele sempre me prometia a mesma coisa, então eu disse que não conseguia mais acreditar e nem ter mais vontade de tentar.
Ele pegou algumas coisas e chamou um Uber. Por mensagem só disse que ia para os pais dele e que não me responderia por um tempo. Ok, entendo, sem problemas.
Faz quase duas horas que minha sogra me mandou mensagem dizendo que ele chegou lá muito abatido e perguntando o que aconteceu. Eu não respondi e pra ser sincera, nem quero papo. Ainda me sinto muito responsável por ele estar mal agora, mas ele tem que aprender a lidar com isso. E eu também tenho que aprender.
Obrigada pelas mensagens carinhosas e pelo apoio de todos.
submitted by sad__cloud to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 19:52 Psychological_Pin877 Aconselhe uma estranha

Olá glr !! tô em conflitos internos ultimamente mas n tenho com quem compartilhar então decidi pedir conselho pra pessoas q nunca vi kkkk Enton, namoro um cara ja vai fazer 1 ano e nos temos pensamentos mt diferentes (óbvio). Mas sobre política e feminismo o bglh fica tenso. Ele se diz patriota, conservador, eu tenho meus princípios mas n me considero nada disso. Ele chamou a Chris flores de piranha por causa de um vídeo em q ela fala sobre o caso MariFerrer, segundo ele, ela tava "defendendo o feminismo que é uma tática marxista" e sla o q.... , achei mt errado. Ele ODEIA femimistas e sempre fala q jamais se casará com uma, não me intitulo feminista mas sou bem desconstruida do estereótipo mulher tem fazer td q o marido manda, cuidar das tarefas domésticas sem reclamar etc. Também não me considero de direita (nem esquerda) e pra ele, n declarar apoio ao Bolsonaro te torna automaticamente petista . Ele defende o presidente com unhas e dentes. No início do namoro ele não expressava nd a respeito disso, só agora ele ta se posicionando e nós estamos de lados opostos . As vezes penso em terminar pq isso abala mt o emocional dos 2 mas acho divergência política um motivo mt pequeno pro fim de um relacionamento. O problema é q fico dividida porque essas opiniões diferentes tem desgastado o relacionamento. Sinto que posso perder a pessoa q eu amo " de graça " não quero desistir dele mas tenho medo de numa discussão por política, um de nos simplesmente decidir acabar tudo, não por falta de amor mas por ja não aguentar essa situação, ou, em contra partida, a gente casar (que é nosso plano) e viver um casamento infeliz, um dos 2 se abster de comentar o que pensa na tentativa de evitar brigas e acabar se anulado, perdendo a própria identidade ... Enfim resumindo bem, é isso. Agradeço a quem opinar
submitted by Psychological_Pin877 to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 17:56 Rukasuh Desabafei com meus pais pela primeira vez em 9 anos e nada mudou...

Desde de muito pequeno eu comecei a criar cargas emocionais e que me deixavam muito puto, eu comecei certamente a estragar minha vida, eu vivia com medo da sociedade, eu não conseguia andar fora de casa e eu odiava todos a minha volta, sentia que só queria todos mortos, por conta desses pensamentos, meu relacionamento com meus pais piorou muito, todos os dias meu pai me acordava aos gritos dizendo que eu era vagabundo etc (eu tinha 10 anos na época), ele começava a gritar etc, ainda mais porque fui abusado quando criança por uma pessoa que ainda conheço, ele não gostava dessa pessoa então ele foi meio que a causa p eu começar minha "depressão", assim todos os dias eu ficava trancado no quarto e não queria mais falar com pessoas. Quando eu estava finalmente pensando em me matar, ou sair de vez do lugar onde moro, decidi desabafar com meus pais, eu nunca chorei tanto na minha vida, meus pais também choraram, eles viram que eu estava EXTREMAMENTE triste e com dor no coração, eles me disseram que estava tudo bem, ne senti muito bem naquele dia, mas ok, acordo essa semana e continuam os gritos, eles ficam putos comigo por nada e penso em fugir dessa casa, se tiverem conselhos para me ajudar em como melhorar essa relação pfv me ajudem. Obrigado por ler até aqui.
submitted by Rukasuh to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 16:01 dorondoritus Passei quase uma década fechado para relacionamentos. Decidi mudar, conheci uma menina, me apaixonei, mas ela não.

Conheci ela em julho, pelo Tinder. Foi um lance de muita sorte, a gente se deu muito bem muito rápido.
Ficamos o primeiro mês só conversando até decidirmos começar a nos encontrar apesar da quarentena. Foi uma coisa maravilhosa. Passamos 2 meses muito intensos até o começo de outubro, quando tivemos que nos afastar por causa de um caso confirmado de COVID na casa dela.
Passei o mês muito ansioso pra vê-la novamente, e percebi que estava apaixonado, algo que não me acontecia há muito tempo.
Voltamos a nos ver, eu cheio de expectativa pelos próximos encontros, e na segunda vez que nos vimos, exatamente uma semana atrás, ela terminou. Disse que para ela o sentimento não tinha aparecido, e que a gente não conseguiria ter mais do que a gente tinha naquele ponto.
É difícil resistir à tentação de me fechar de novo. Difícil aceitar que buscar um relacionamento significa me sujeitar a mais situações como esta. Parece mais fácil voltar à minha vida de hermitão, que não era feliz mas também não tinha decepções.
Só queria desabafar. Conte aí também sua experiência, seus aprendizados, seus conselhos ou o que der na telha.
submitted by dorondoritus to relacionamentos [link] [comments]


2020.11.06 23:27 Thecryboy Ela simplesmente me deu block

Eu tinha uma namorada que até antes de ontem a gente estava super bem, ai do nada ela vem com uns papo de que queria terminar e depois eu descobri que era trollagem dela, que ela queria sim ficar comigo pra sempre dai ok, depois no mesmo dia a gente se resolveu, dai eu ouvi o chat que falaram pra eu ficar 1 dia sem conversar com ela e tal, se ela te ama ela vai perguntar oque aconteceu e se ela não perguntar é porque ela não te ama, e chegou a hora ela realmente perguntou, eu não estava vendo na hora as mensagens que ela estava mandando, ai depois quando fui ver, tinha um monte de mensagem dela e no final dizendo, nunca mais fala comigo, ai depois disso eu fiquei muito puto, já é a segunda vez que fico aceitando conselho dos outros e sempre me fodo no final, agora ela talvez nunca mais vai conversar comigo e é isso ai, nosso namoro estava indo muito bem muito bem mesmo, estávamos completamente bem, dai acontece essa merda, sério não sei oque fazer estou procurando algum dos meus amigos pra conversar, mas parece que eles não estão online, nossa porque que quando acontece essas merdas não tem ninguém me apoiando em, eu estava puto agora estou abalado estou com uma sensação ruim, eu sei que é normal isso mas parece que dessa vez é diferente, parece que eu realmente perdi a pessoa pra minha vida que talvez fosse ser minha esposa sabe, eu sou muito frio com essas coisas sempre quando termino um relacionamento eu não ligo, começo a ouvir minhas musicas e fodasse, mas agora eu estou fazendo isso e não da, não estou esquecendo, eu acho que bateu tanta raiva na hora que compensou com a tristeza que eu não estou sentindo mais nada.
submitted by Thecryboy to desabafos [link] [comments]


2020.11.04 18:00 PolylingualAnilingus Eleições 2020 - confira neste post as principais propostas dos três candidatos à presidência do Corinthians

Boa tarde, nação corinthiana do Reddit. Estamos fazendo este post para deixar mais claras as propostas (já postadas em posts separados) dos três candidatos à presidência, sem precisar ir a outro site ou ver vários posts diferentes.
Aqui seguem as propostas dos 3 candidatos, em ordem alfabética.
____________________________________________________________________________________________________________

Augusto Melo:

1 - Gestão Meritocrática

Criar um plano com metas e objetivos. Gerir o Corinthians de forma clara, objetiva, profissional e organizada, com responsabilidade com os ativos financeiros, físicos, tecnológicos e humanos.
Administrar o clube para orgulho de cada corintiano, com uma visão de futuro e de vanguarda. Ter profissionais qualificados nas áreas e com perfil vencedor.

2 - Financeiro

Recuperação da credibilidade financeira e moral. Apresentar os ativos de valores da marca e de sua torcida e o seu grande potencial financeiro para toda e qualquer ação.

3 - Jurídico

Ter uma equipe profissional de grandes advogados especialistas em áreas distintas, que blindem o Corinthians.
Contratar especialistas nas áreas de: compliance (conformidade), trabalhista, esportivo, empresarial e recuperação de créditos.

4 - Clube social

Desenvolver uma administração independente para o clube social, com gestão de custos e gastos para torná-lo autossustentável. Aumentar o número de associados com atrações que o clube possa dispor, decorrente da excelente localização que se encontra.
Modernizar o clube e criar uma referência de espaço multiuso para os sócios de forma autossustentável juntando conveniência, diversão, segurança e entretenimento aos sócios e aos corintianos.
Criar uma rede de hotéis do Corinthians, começando pelo clube e depois no CT, adotando o sistema "timeshare", que dá a garantia ao Corinthians de ter receita mesmo em baixa temporada de férias ou eventos. Oferecer clube, parque, shopping e hotel num único espaço.
Trabalhar para fazer com que a mulher tenha maior participação na vida do clube, como o direito ao voto do sócio 01, por exemplo.

5 - Arena

Transformar a Arena numa grande fonte de espetáculos e de atrações comerciais e corporativas, transformando-a num grande polo esportivo, cultural e de entretenimento de São Paulo.
Restabelecer o domínio administrativo e financeiro da Arena. Revisar e renegociar os acordos vigentes.
Todos os jogos na Arena serão um espetáculo.

6 - Futebol

Desenvolver um departamento de futebol do clube vencedor, com administração séria, transparente e competente. Os atletas que vierem a jogar no Corinthians serão valorizados por toda a estrutura profissional em que estarão inseridos e, por isso, serão cobrados também pelo profissionalismo esportivo e de conduta. Um time forte se faz com atletas fortes e com planejamento pautado nos resultados, esportivos e financeiros.
Será oferecida uma gestão de marca e curadoria aos jogadores. Desenvolveremos e manteremos novos ídolos para o Corinthians. Teremos um time de futebol montado com verdadeiros guerreiros e que jogarão com o ímpeto de vencedores.
Na base, desenvolver o departamento com efetiva formação de atletas. Já no futebol feminino, ser referência esportiva, administrativa e de marketing. Utilizar premissas de desenvolvimento do futebol masculino no feminino.
Nas negociações, ter critérios pré-estabelecidos que serão rigorosamente cumpridos, satisfazendo os objetivos do atleta e do Corinthians, não dos empresários.
O time irá treinar no clube social uma vez por mês. A sirene do Parque São Jorge será tocada nas apresentações dos jogadores.
Queremos ser referência também nos departamentos de estatística, médico, de fisiologia e fisioterapia esportiva.

7 - Ingressos

O valor do ingresso será congelado durante um ano. Crianças abaixo de oito anos não pagarão ingresso. O programa Fiel Torcedor será aprimorado e com de abrangência nacional. A cada jogo do Corinthians, uma família que nunca assistiu a uma partida do time será beneficiada com uma ida ao estádio para acompanhar o espetáculo.

8 - Corinthians Solidário

Em todos os jogos mil ingressos serão disponibilizados para pessoas carentes.
A cada partida os torcedores poderão entrar numa plataforma e assinalar quantas cestas básicas eles doarão para uma entidade assistencial a cada gol marcado pelo Corinthians. Esta promoção faz com que, a cada jogo, seja criada uma “Bolsa de Apostas do Bem”.

9 - Shows e eventos

Será criado um calendário de eventos para o clube. No Parque São Jorge, serão realizados shows a preços populares. Na Arena, grandes eventos.

10 - Institucional

Reestruturar todo o projeto de iluminação do clube, batizado de "Projeto Lampião", nome inspirado na história de criação do Corinthians.
Enaltecer os ídolos que escreveram a história de conquistas e vitórias do Timão.
Desenvolver uma metodologia de incentivo aos esportes amadores do Corinthians, valorizando futuros atletas e incentivando a prática do esporte em suas diferentes modalidades e características, com incentivos fiscais federais e estaduais.
Pensando nos jovens, o Corinthians terá uma das mais importantes e modernas arenas de e-sports do Brasil.
Construir o Hospital Dr. Sócrates no Parque São Jorge e desenvolver clínicas de exames e primeiro atendimento.
Criar a "Salve", operadora de telefonia própria do clube, além de uma uma rede social própria do clube e uma plataforma digital de transmissão por streaming de conteúdo audiovisual por demanda. A programação da televisão contará com conteúdo jornalístico, esportivo e filmes.
Inaugurar a Corinthians Academy, uma plataforma de educação e intercâmbio do Corinthians através do futebol, compartilhamento das metodologias esportivas e de gestão do clube.
Desenvolver uma aliança junto a uma grande instituição internacional, com o compromisso para o ensino da língua inglesa para todos os jogadores que estiverem na base do Corinthians.
Realizar uma vez por mês uma reunião com os torcedores para discutir novas ideias através da perspectiva e experiência de quem vive o dia a dia e acompanha o time em todos os jogos.
Criar a "Fiel Cap", título de capitalização do Corinthians, um produto financeiro/filantrópico que premiará a torcida e destinará parte da arrecadação à Cruz Vermelha.
_________________________________________________________________________________________________________

Duílio Monteiro Alves:

1 - Clube social

O clube precisa ser um espaço que contemple todas as idades da família corintiana, com segurança, serviços de qualidade, valores acessíveis, boa infraestrutura, esporte, cultura e lazer. Para tanto, como sócio, frequentador desde o berço e profundo conhecedor dos anseios dos associados e das dificuldades do clube, baseamos a gestão do clube social em quatro pilares essenciais: Estrutura, Social/Lazer, Esportes e Tecnologia.
Com base nesses pilares, elaboraremos um Plano Diretor para padronizar a identidade do clube e permitir seu crescimento planejado e dentro da legislação. Vamos modernizar a academia e o parque aquático, ampliar as vagas de estacionamento e criar novas atrações voltadas para as crianças e os adolescentes, como skate (cuja pista foi recentemente inaugurada), BMX e e-Sports, além de incentivar os times Masters do clube. Também implementaremos a segunda fase do projeto de Wi-Fi para os sócios e a entrega das novas funcionalidades do sistema de gestão da secretaria do clube, que facilitará o contato com os associados.

2 - Gestão de esportes olímpicos e amadores

O foco nas modalidades esportivas que vão além do futebol profissional seguirá forte. A intenção é que o Corinthians se estabeleça cada vez mais como um clube formador, em diversas modalidades, tanto no esporte amador quanto para os sócios. E que os esportes sejam, em breve, autossuficientes. Para isso, criaremos um braço específico do departamento de marketing/comercial que trabalhe parcerias de investimento para as modalidades dos diversos esportes praticados no clube, buscando patrocínios, incentivos a intercâmbios, comunicação, promoção e divulgação nas redes digitais do clube. O objetivo é fazer com que os demais esportes sigam o exemplo do que temos hoje com natação, basquete e futsal, que possuem todas as categorias de formação de atletas – para que, assim, o clube possa contar com o atleta que forma, além de evitar perdê-lo para outros clubes. Paralelamente, iremos manter o fortalecimento das seleções associativas, de modo que o sócio possa continuar treinando e participando, sem perder espaço para o atleta de alto rendimento.

3 - Futebol profissional

O Corinthians tem obrigação de disputar títulos todos os anos. Essa certeza me orientou desde quando participei da montagem do time que ganhou o Brasileiro de 2011, a Libertadores e o Mundial de 2012. As taças da última década criaram uma cultura de vitórias, da qual não podemos abrir mão. Tivemos um tri paulista e campanhas sólidas na Copa do Brasil de 2018 e na Sul-Americana de 2019, fomos vices no Paulistão neste ano. Embora não estejamos satisfeitos com os resultados mais recentes, é preciso reconhecer que a atual gestão deixará uma estrutura profissional, em todos os sentidos. Os setores estão consolidados: teremos uma comissão técnica experiente; um elenco com talento e jovens promissores, que evoluirão para um encaixe no futuro; um Centro de Inteligência operante; um CT sem igual no Brasil; uma base forte e totalmente estruturada com seu novo CT, além de uma das Arenas mais modernas do mundo. O time sub-23 cumprirá um papel fundamental: ele dá rodagem e acompanhamento próximo a meninos da base no último estágio da maturação, como ocorreu com Roni, Raul e Xavier, além de abrigar a captação de talentos mais tardios. O desafio é aprimorar para continuar ganhando.

4 - Futebol de base

A formação de atletas exige investimento a longo prazo, olhar apurado e paciência com os processos. A atual gestão continuou a otimização da base, que foi competitiva em todos os campeonatos, revelou talentos que reverteram lucro, como Pedrinho e Carlos, e retorno esportivo, como Mantuan, Lucas Piton, Roni e Xavier no time principal. O próximo passo é ainda mais importante: com a entrega do CT da base neste ano, vizinho ao CT profissional, o Corinthians traz um incremento definitivo à formação e à transição desses jovens para o time adulto. Em 2021, finalizaremos o alojamento que receberá 160 jovens, com conforto para os atletas e confiança para as famílias que muitas vezes optavam por outros clubes devido ao custo do transporte, à moradia distante, à falta de segurança, entre outros aspectos, além de permitir ao Corinthians acompanhar esse atleta mais de perto e orientá-lo no seu crescimento como atleta e cidadão. Iremos ainda implantar as tecnologias de ponta utilizadas com os profissionais também na base, auxiliando no acompanhamento do desempenho, no aprimoramento do desenvolvimento dos jovens e na captação de novos talentos. E para garantir que isso se torne realidade, faremos com que os dois departamentos trabalhem ainda mais próximos e em sintonia, acompanhando e participando pessoalmente de todo o processo.

5 - Futebol feminino

O time feminino do Corinthians é mundialmente reconhecido como um caso de sucesso, graças ao trabalho incessante da diretora Cristiane Gambaré com apoio do presidente Andrés Sánchez. Motivo de enorme orgulho da nossa torcida, ninguém discute hoje que a evolução da modalidade no Brasil e na América do Sul passa, obrigatoriamente, pelo Corinthians. Renovamos nosso compromisso de consolidar o nosso futebol feminino entre os melhores do mundo, contando com talentos de seleção brasileira, como Lelê, Tamires e Andressinha. Nos próximos anos, o futebol feminino também será um laboratório de inovação, dentro e fora do gramado, promovendo, cada vez mais, as histórias de superação, dedicação e enorme talento das nossas meninas e aproximando o clube de um novo perfil de torcida, dedicada à modalidade.

6 - Gestão financeira e governança

Como a capacidade de geração de caixa do nosso clube é gigantesca, precisamos adotar as melhores práticas de gestão, ter profissionais capacitados e fazer uso de ferramentas que nos possibilitem equilibrar as finanças e garantir fluxo de caixa positivo. A disciplina financeira será um objetivo a ser perseguido com elaboração de orçamentos, fluxos de caixa projetados e políticas internas de gastos e investimentos. Tudo alinhado a planejamento estratégico com foco em atender as demandas de nossa imensa torcida e de nossos sócios. Para nos ajudar nesse desafio, estamos alinhando procedimentos com uma das quatro maiores consultorias de gestão do Brasil e do mundo. Trata-se de um investimento que certamente nos ajudará a implementar e perpetuar processos e procedimentos que trarão importante retorno estratégico e financeiro. Governança é algo em que iremos também investir permanentemente para proteger e impulsionar nosso clube. Já estamos sob as regras do Estatuto Social e de outras diversas que precisam ser respeitadas de forma irrestrita, além de constantemente revisadas e aperfeiçoadas. Vamos incentivar o estreitamento das relações com todos os poderes do clube, como Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e Conselho de Orientação. Na seção “Transparência” do site do clube vamos publicar os balancetes mensalmente, além de todos as demais demonstrações financeiras acompanhadas por relatórios de auditores.

7 - Inovação, comunicação e marketing

A transformação digital do clube exige o cumprimento de uma missão: colocar o nosso torcedor no centro do ecossistema corintiano. Para isso, nossa estratégia é buscar uma interação total clube-torcedor, por meio de um aplicativo de celular fácil e ágil: a ideia é que o ingresso, o gol e até a cerveja da Arena estejam à distância de um clique. Mas a ambição não fica restrita à experiência na Arena: seja para a geração de conteúdo engajador em todas as nossas plataformas, seja para conceber produtos e serviços de real impacto no torcedor, seja para executar um programa de nacionalização e internacionalização do clube a sério, tudo isso exige criar uma relação de intensa intimidade entre clube e torcedor. Todo corintiano importa, esteja ele em Corumbá ou em Yokohama, e nossa gestão tem que garantir que o exercício da paixão corintiana seja pleno em todos os momentos e lugares.

8 - Transformação comercial

Nosso objetivo é aumentar a receita comercial em 50% nos próximos três anos, uma ambição que exige muito mais do que simples venda de patrocínios. É preciso acoplar um misto de microscópio com mira laser em todas as ações comerciais do futuro. Primeiro, criaremos um grupo profissional e verticalizado com foco na geração de parcerias comerciais de valor real para torcedores, parceiros e clube. Depois, combinaremos as ferramentas mais modernas de gestão comercial, como Big Data e Inteligência de Mídias Sociais, com outras já presentes no clube, como o CRM e monitoramento de valor de marca em mídia, a fim de ampliar o alcance dessas ações. O caminho é unificar as bases de dados de torcedores e consumidores, entender seus hábitos de consumo e interpretá-los estrategicamente para o aumento de receita.

9 - Fiel Torcedor

O aprimoramento do nosso programa Fiel Torcedor será uma das nossas maiores prioridades nos próximos três anos. Queremos triplicar a base de associados, e isso significa tornar o Fiel Torcedor atraente a todos, independentemente de onde morem. Como fazer isso? Bom, a gestão atual já investiu numa interação mais direta: o Fiel Torcedor já faz perguntas nas entrevistas coletivas, sejam elas de imprensa ou reservadas aos fiéis-torcedores. Tudo isso será intensificado. Os próximos passos são claros: além dos benefícios tradicionais, como desconto nos ingressos e nos produtos licenciados, haverá acesso a conteúdos exclusivos, experiências únicas no CT e na nossa Arena, participação em jogos e competições com distribuição de prêmios e brindes, prioridade no recebimento de notícias. Enfim, será um caminho para viver a paixão corintiana de forma privilegiada.

10 - Arena

Iremos transformar nossa Neo Química Arena no centro vivo da paixão corintiana. O acordo dos naming rights, combinado com as negociações avançadas para a quitação da Arena, nos permitem projetar uma geração de novos recursos ao clube já no primeiro ano da gestão. Cumprindo sua vocação de equipamento central da Zona Leste, iremos trazer um hotel (já em negociação), um espaço de coworking (já em negociação), tirolesa (fase de contrato), um restaurante no 4º andar (contrato já assinado) e novos bares nos setores Leste/Sul. Outros planos incluem a realização de inúmeras ativações em datas diversas além dos dias de jogos em parceria com a Neo Química, com shows e eventos culturais. Por fim, queremos criar uma incubadora de empreendedorismo digital, o Hub Fiel, a fim de incentivar projetos tecnológicos, os quais o clube terá prioridade na aquisição.
____________________________________________________________________________________________________________

Mario Gobbi:

1 - Saúde financeira

Como é de conhecimento público, a situação financeira do Corinthians é gravíssima e praticamente pré-falimentar. Então, a recuperação das finanças, bem como da credibilidade do clube, será prioridade. O projeto para esta área é bastante complexo, como teria que ser face à complexidade dos desafios e oportunidades de um clube como o Corinthians. Mas ele passa essencialmente pela gestão eficiente do fluxo de caixa do clube. Temos que equilibrar as contas, voltar a gastar dentro do que o clube arrecada, mas, além disso, buscar o crescimento desta arrecadação, gerando recursos para investir no futebol e nas outras importantes iniciativas do clube. Entre os principais pilares do projeto da área financeira, além de prováveis cortes de custos e da readequação de processos internos que a auditoria de uma das big four\* (Deloitte, Ernst & Young, KPMG e PricewaterhouseCooper) irá nos mostrar, temos um plano de criação de fundos de investimento, feito por um renomado profissional da área e com passagens por grandes instituições brasileiras e internacionais. Em três anos, quero entregar o clube saudável financeiramente e com o caminho trilhado para ocupar o seu devido lugar: o protagonismo permanente no futebol mundial. \Quatro principais empresas de auditoria do mundo.*

2 - Credibilidade

O Corinthians vive uma crise profunda de credibilidade com a sua torcida, que é o principal patrimônio do clube, e com o mercado. Para reconstruirmos esta credibilidade, temos um grande projeto administrativo que, resumidamente, contemplamos: realização de uma auditoria geral em termos de processos administrativos e financeiros, recursos humanos e sistemas de informação; um plano de governança corporativa, gestão de riscos associados e compliance; remodelamento dos processos de aquisições e suprimentos, após diagnóstico dos processos atuais envolvendo seleção, contratação e gestão de fornecedores; reestruturação da área de recursos humanos; revisão da tecnologia e sistemas utilizados em termos de integrações, automação e inteligência de mercado; e atuação na área de patrimônio e controle de obras. Todas as ações, que podem ser conhecidas com muito mais detalhes no site da Reconstrução Corinthiana, certamente colocarão o Corinthians em condições de recuperar a imagem positiva perante a sociedade, incluindo credores, fornecedores, comunidade esportiva, poder judiciário, sócios e torcedores.

3 - Arena Corinthians

O projeto para a Arena Corinthians é grande e todos os pontos podem ser consultados no programa completo. Alguns que cito aqui são: a total profissionalização dos quadros de profissionais do estádio; a transformação em uma Arena multiuso com o objetivo de ampliar drasticamente o número de dias utilizados; e que tenha separação de custos do clube afim de que opere por meios próprios, sob comando do clube.
Algumas das propostas são: aumentar a ocupação do estádio com estratégias de inclusão dos corinthianos de camadas sociais menos privilegiadas, aumentar previsibilidade e garantia das receitas de bilheteria através da implantação do Season Tickets, aumentar quantidade global de compradores de ingressos, internalização da venda de ingressos e programa de relacionamento, ingressos subsidiados para a comunidade, melhorar a experiência “Corinthians” no estádio para todos, análise de Dados, CRM e BI, adequação das faixas de precificação, melhoria e desenvolvimento de canais de venda e parcerias, maximização do uso de inteligência de dados para ativações segmentadas e customizadas, transformação da Arena em um destino diário, com atividades diversas, integração de fato e “abertura” da Arena para a população da zona Leste e do entorno, aproximação com órgãos de turismo, transformação do Oeste Inferior em uma área de comércio e serviços para atrair visitantes em dias sem jogos, potencializar atividades de esporte e lazer em áreas externas, posicionar a Arena como espaço para Eventos sociais e corporativos.
Abertura dos espaços externos para uso da população e realização de eventos esportivos, de lazer e culturais, benefícios e facilidades para moradores de Itaquera na aquisição de ingressos para determinados jogos, maior gestão sobre a qualidade e oferta de serviços prestados pelos operadores terceiros / parceiros, visando maximizar oportunidades de receitas e níveis de atendimento aos frequentadores da Arena, incluir Arena no calendário de grandes shows e turnês internacionais, valorização da experiência premium e conceito do produto, criar produtos e pacotes customizados (Camarotes, 3 Business e Oeste Superior) para o mercado corporativo, venda de produtos de matchday (avulsos) para pessoas físicas e turistas, melhorar e segmentar oferta de alimentação e bebidas, e muitos outros.

4 - Marketing

O departamento de marketing do Corinthians precisa ser atualizado com urgência, além de auxiliar diretamente no trabalho de reconstrução da imagem e da credibilidade com a torcida, que é o principal patrimônio do clube; e com o mercado, para atrair novos investimentos e patrocinadores. Entre outros projetos da minha gestão – e todos podem ser conferidos no site da Reconstrução Corinthiana – cito o ID único. Com ele, o Corinthians vai conhecer profundamente os interesses do torcedor, entender os desejos, hábitos e frequência de utilização, proporcionando melhores experiências. Todos os pontos de contato de relacionamento alimentarão uma base de dados única e proprietária do clube. Com um CRM – Customer Relationship Management, integrando inteligência no mapeamento e refino na segmentação dos diversos perfis, o clube poderá também enviar ofertas para mercado corporativo como plataforma de dados para campanhas. Sem esta ferramenta, o clube interage com uma pequena.

5 - Fiel Torcedor

O Fiel Torcedor precisa ser repensado por inúmeros motivos. O Corinthians não pode ter um programa de relacionamento com o torcedor com uma receita inferior à do Flamengo em quatro ou cinco vezes: em 2019, foram R$ 14 milhões de renda bruta do Fiel Torcedor contra R$ 61 milhões de renda líquida do programa do time carioca. A diferença é muito grande! Então vamos mudar o princípio, a ideia do plano. A prioridade e desconto na compra de ingressos têm que continuar, mas também vamos oferecer uma série de benefícios e vantagens aos torcedores que não frequentam o estádio – e neste ponto, o projeto do ID único será fundamental para enxergar os anseios e necessidades de cada um da imensa base. No projeto, ainda está a possibilidade do sócio do Fiel Torcedor também se tornar associado do clube social - o que ajudaria diretamente a sede social a se tornar autossustentável. Para finalizar, é preciso tirar da gaveta a discussão sobre a possibilidade de voto ao Fiel Torcedor. Já não podemos ficar sentados sobre esse tema. Temos que estudar, apresentar as ideias possíveis e então esperar que o Conselho e a Assembleia de sócios definam as diretrizes.

6 - Clube social

A sede social do Corinthians é um dos grandes patrimônios do clube. Na minha primeira gestão, fizemos uma lista enorme de benfeitorias e a entreguei em ótimas condições. Cuidar do clube significa não só oferecer o melhor ambiente possível para o associado, mas também preservar a história do Corinthians! A sede social precisa de uma série de melhorias, e isso demanda estudos aprofundados sobre o que fazer com o espaço ocioso. Não adianta alguém tirar da cabeça que o tema precisa ser estudado e não fazer mais nada. Mudanças grandes devem ser aprovadas nos conselhos deliberativos, como um plano diretor e uma meta de avanço para o Parque São Jorge, e, aos poucos, isso vai ser feito com a ajuda de parceiros e da iniciativa privada.
De concreto e imediato, os serviços que precisam melhorar são os de zeladoria, de vestiário, para garantir o dia-a-dia dos sócios com mais qualidade. Também queremos também trazer para o clube social pequenas e médias empresas (PME´s) interessadas em uma participação mais efetiva junto ao clube, envolvendo patrocínio de esportes olímpicos, áreas externas, equipamentos, praças, alamedas, museus, piscinas, quadras entre outros; organizar espaço para Feiras e Eventos empresariais nas dependências do clube; introduzir um polo de atração de startups voltadas à tecnologia, esporte e bem estar em área específica do clube; e realização de projetos que gerem atração a novos sócios e a antigos associados que se afastaram do clube.

7 - Responsabilidade social

Como disse o eterno presidente Miguel Battaglia: “O Corinthians é o time do povo e é o povo que vai fazer o time”. Não há como imaginar o Corinthians sem envolvimento com a população e as ações de responsabilidade social. Entre outras propostas da área, vamos criar a diretoria integrada de responsabilidade social e relações institucionais. Entre outros assuntos, a pasta cuidará das interações do Corinthians com organizações dos setores públicos e privados, apoiando a gestão do clube na busca de investimentos sociais que persigam resultados de impacto social, com caráter transformador, gerando subsídios materiais e imateriais para o Corinthians.
Também vamos criar uma instituição de terceiro setor (uma ONG ou a Fundação Corinthians), que terá como objetivo criar uma personalidade jurídica com capacidade de captação de recursos, autonomia e eficiência na prestação dos serviços sociais de sua competência. Também cito a criação do EducaSCCP, um projeto elaborado com o objetivo de levar a educação para o centro da administração e, portanto, das proposições do Corinthians. Como a instituição clube associativo tem uma função social, é preciso criar uma estrutura educacional mais sólida. O projeto, dividido em três etapas, tem o objetivo de levar a dimensão educacional como elemento constitutivo da formação de atletas feita pelo clube, chegando até à formação do atleta de futebol profissional.

8 - Futebol (masculino e feminino)

Temos uma equipe dominante no futebol feminino com grandes resultados, aceitação e engajamento da torcida. Temos que caminhar em duas frentes: uma que amplie o público que se identifica com as mulheres; e outra que encontre fontes de receitas que façam o projeto cada vez mais sustentável por si só – o que me parece muito viável, aliás.
O projeto para o futebol masculino é ter um time competitivo, que honre as tradições do Corinthians, até que as finanças do clube sejam sanadas. Depois que conseguirmos colocar o Corinthians de volta ao trilho do trem, certamente o clube assumirá o papel de protagonista permanente. Não queremos que esta mudança aconteça por um curto período, de quatro, cinco anos, como já aconteceu. Queremos que o Corinthians seja protagonista permanente! Por isso, é extremamente importante entender o novo momento, enxergar o clube de forma diferente, apoiar as mudanças e ter paciência por algum tempo para, então, assumir o protagonismo.

9 - Categorias de base

O trabalho atual da base é como todo o trabalho de gestão do Corinthians. Não se sabe muito bem para quem serve e ao que serve. É uma pena porque isso afeta o sonho de muitos jovens e suas famílias, além de ser terrível para o clube e a torcida. Lamento também que o Sub-23, um projeto teoricamente positivo porque era para ser um trabalho continuado da base, tenha virado uma ilha completamente nebulosa. O nosso projeto para esta área, entre outros pontos, é investir em tecnologia para aprimorarmos a captação de jovens com potencial. Pretendemos enxugar ao máximo o número de atletas e investir mais nos profissionais ligados à preparação. Precisamos ter as melhores comissões técnicas, compostas por profissionais de alto gabarito e trajetória. Também apostaremos na qualificação dos atletas na parte educacional.

10 - Esportes olímpicos

Na minha primeira gestão, conquistamos títulos inesquecíveis em muitas modalidades: a única medalha olímpica em esporte individual na história do clube (Thiago Pereira, na natação, em Londres-2012), recorde de medalhas de ouro de um só atleta em um Mundial de Piscina Curta (Felipe França ganhou cinco no Mundial de Doha, em 2014), Cinturão Peso Médio do UFC (Anderson Silva, 2012), UFC 153 (Anderson Silva, 2012), Mundial de Skate Vertical (Rony Gomes, 2013), Troféu Maria Lenk de Natação após 48 anos (2014), Campeonato Sul-Americano de Clubes de Basquete Feminino (2015), Campeonato Paulista de Basquete Feminino (2015), Taça Brasil de Futsal (2014) e Liga Paulista de Futsal (2013 e 2015).
Além de todos os títulos, também inovamos e contratamos um surfista (Adriano de Souza “Mineirinho”, que conquistou o Mundial em 2015 após deixar o clube). Como mostra o investimento feito à época e os resultados, eu sou um apaixonado também por esportes olímpicos. No entanto, com a situação financeira que se apresenta e é de conhecimento público, precisamos analisar, verificar o que é possível após a realização da auditoria e, então, implantar projetos de desenvolvimento de novos talentos que couberem na nova realidade do clube.
___________________________________________________________________________________________________________

E aí, o que acharam? Em quem vocês votariam?
submitted by PolylingualAnilingus to Corinthians [link] [comments]


2020.11.02 04:28 shylizie Como contar pro meu pai que não sou mais virgem

Sério eu preciso de conselhos pois acredito que essa vai ser a conversa mais difícil que terei na vida. Meu pai é muito tradicional, crente e etc além disso é uma pessoa muito fechada então dificilmente sei como ele se sente em relação alguma coisa, só quando é ruim dá pra saber pq ele reclama sem parar. Eu estou quase completando 19 anos e não sou nenhuma criança e não quero precisar ficar mentindo sobre o tipo de relacionamento que eu estou, meu pai aparentemente quer que eu tenha a paciência de esperar até o casamento e olha sinceramente acho que é uma das piores escolhas que alguém pode fazer, não esperei o casamento, só esperei uma pessoa que realmente me ama chegar e eu quero poder dizer "hey estou indo pra casa do meu namorado e volto amanhã" ao invés de mentir sobre o lugar que eu estou indo, já sou velha pra ficar fazendo coisa escondido. Agora como iniciar essa conversa eu acho extremamente difícil.
submitted by shylizie to desabafos [link] [comments]


2020.10.30 00:23 juanzos Minha namorada não consegue me fazer gozar

Eu tenho uma suspeita legítima do porquê: eu sou viciado em pornografia.
Ano passado por conta de uma crise depressiva em que eu larguei a escola eu comecei a ir pra terapia. Já tinha ido antes e desistido, o método de psicanálise não me desceu. A nova terapeuta não gostava de se rotular em método algum mas deu certo por um tempo. Eu demorei muito pra admitir o meu vício em pornografia, apesar de ser um dos motivos principais de eu ter aceito ir pra terapia e ter tido vontade disso. Mas o método que ela me aconselhou a desviciar, de tentar diminuir aos poucos e prestar atenção à frequência e gatilhos de vontade, eu simplesmente não segui por um tempo e quando tentei, meio que ignorei... a vontade de me masturbar era maior que a vontade não fazer por conta da consciência no momento dos problemas disso.
Um tempo depois eu comecei a namorar. Nunca namorei antes, nem fiquei, nem beijei, nada. Primeiro relacionamento, ainda estou nele, apesar de tudo. Não me senti seguro com a terapia por Ead, e, na verdade, a pandemia me tirou quase tudo. Eu tava começando a ficar cansado de ir pra terapia e não seguir disciplinadamente os conselhos que minha terapeuta tava me dando, tava chegando num ponto de tensão em que eu provavelmente iria começar a me policiar melhor... mas eu não tava tão preocupado. Era início de ano e eu tinha tempo de me reacostumar a uma rotina. Comecei a faculdade tendo formado pelo encceja e passado no Enem. Encontrava minha namorada semanalmente, tava tudo indo realmente bem pra mim. Mas acho que não ter aceito a terapia Ead por conta da pandemia foi precipitado. Fiquei muitos meses sem ver minha namorada até recentemente em que decidimos flexibilizar a nossa quarentena. E nesse tempo, sem aulas Ead também, eu fiquei muito sozinho e triste.
Ela veio aqui em casa 3 vezes nos últimos 3 meses, e estamos na casa de meus avós, que é enorme, e eles não estão aqui. Estávamos apenas com minha mãe, o que significa muito tempo a sós, e então iniciamos nossa vida sexual, ela e eu virgens. Mas isso não tem dado muito certo. Ela tem hábitos muito mais saudáveis que eu, o que inclui nenhum contato com pornografia na vida. E isso acaba sendo um empecilho pra ela, no sentido de que eu consigo fazer ela gozar mas ela não consegue me fazer gozar. E já tentamos de tudo...
Eu sei o que tenho que fazer, tenho que largar a pornografia. Mas eu não sei bem como fazer isso. A minha vontade sozinha não tem dado certo. E eu também não sei se é só isso, se envolve técnica, mas é algo que eu prefiro não pensar porque ela fica muito infeliz pensando que é culpa dela. Eu já conversei bastante com ela sobre isso ser culpa do meu vício em pornografia e até mesmo sobre postar sobre isso aqui, o que ela concordou. Enfim, queria saber se alguém já conseguiu superar a pornografia de algum jeito além de apenas vontade própria; ou se realmente pode ser alguma "dificuldade técnica" nossa.
Foda que até nos rendemos de ver pornô pra tentar repetir o que eles fazem e não adiantou. Com pornografia eu gozo em poucos minutos. E não é uma questão de broxar, é de não chegar lá mesmo... Vez ou outra (às vezes tentamos isso e não deu certo) eu consegui me masturbando com ela me auxiliando. Mas se eu deixo pra ela apenas não dá certo. Sendo que o contrário não acontece, ela goza de qualquer jeito... Chego até a ter um pouco de inveja dela. Mas isso não me incomoda muito, eu insisto pra ela isso, mas ela se incomoda, e aí é que eu não posso só ignorar. Fora que não ser viciado em pornografia tem vários outros ótimos motivos, obviamente
tl;dr: Por conta de não conseguir gozar, minha namorada fica chateada. Não estou em terapia, mas já tentei antes pela terapia me livrar do vício em pornô e não tenho conseguido. Preciso de conselhos pra me livrar do vício e/ou pra melhorar no sexo e conseguir fazer minha namorada gozar
submitted by juanzos to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 14:08 Humble_Author4284 Se poder, não se apegue

Ontem eu tava pensando numas coisas e eu quis escrever aqui mas eu já tava na cama e tive preguiça de pegar o celular, enfim.
As vezes eu gostaria de sla, fazer alguma merda grande e parar de falar com as pessoas que eu sou muito proximo, não sei como explicar. Não sei, eu acho que ser muito proximo de uma pessoas carrega uma responsabilidade muito grande de por exemplo, se essa pessoa ta mal, ela vai (provavelmente) querer conversar com você, mas mano, quando essas pessoas vem pedir conselho ou apoio emocional, eu não sei o que falar. Mas também quando eu sei que a pessoa não ta bem e ela não vem falar cmg eu tbm fico mal pensando "poxa, sera que essa pessoa não confia em mim" "sera que eu sou o problema" essas coisas.
Esse sentimento de preocupação constante que eu sinto nesses tipos de relacionamentos em geral me estressam mais do que o contrario, e eu não sei se é uma coisa minha tipo egoismo, se eu devo tentar procurar novas amizades ou se a eu consigo viver melhor sem me apegar muito (tirando a minha familia obvio).
submitted by Humble_Author4284 to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 02:52 gcfpluto como dizer pra amiga que não tenho interesse no relacionamento dela?

para desencargo de consciência, tecnicamente eu me importo porque é uma coisa que a afeta, e eu tenho um enorme carinho por ela.
já faz um tempo que essa amiga tem tido problemas no relacionamento e, por ser alguém em que ela confia, sempre desabafa comigo. no começo não liguei muito, porque um ouvido amigo e conselhos (se possível) são algumas das coisas que vêm com a amizade. mas de uns tempos pra cá é quase como se eu só existisse quando surge algum problema... raramente nossas conversas divergem do assunto que se tornou principal: a namorada dela; e quando falamos sobre qualquer outro assunto - até mesmo amenidades! - de alguma maneira a conversa se volta pra algum problema do relacionamento das duas. por causa disso acabo deixando de responder algumas mensagens e passamos dias e dias sem se falar. o silêncio geralmente é quebrado por ela... por causa de alguma coisa do relacionamento.
não vou negar, não gosto da namorada dela por razões específicas (que talvez se ela ler esse post vai me reconhecer), mas nunca cheguei a expressar esses meus descontentamentos com ela, pelo menos não explicitamente. às vezes sinto vontade de dizer que essa situação está me incomodando, que fico feliz em saber que ela vê em mim alguém que pode confiar pra compartilhar seus problemas, mas que não sei se tenho mais saco pra essa situação em específico. nossa última conversa (alguns dias atrás) começou com algo simples e de novo caiu no mesmo buraco, então não respondi mais porque eu realmente não sei mais o que responder. já disse todas as coisas ponderadas que poderia dizer, só falta falar pra terminar (o que seria cavalice de minha parte). por alguma razão tenho a sensação de que essa foi nossa última conversa...
submitted by gcfpluto to desabafos [link] [comments]